quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Escolher.

Gostaria  que soubesse que eu me senti traída. Agora, é tão difícil recordar as  dores, pois o passado as levou com ele. Mas ainda continua tudo em minha  memória. Pode ter passado, mas eu lembro de, exatamente, tudo. Eu  consigo recordar das dores, dos dias que eu era forçada a levantar da  cama e me sentir, desesperadamente, sem chão e dispersa. Aqueles  momentos de devaneio que só conseguia pensar na agonia. A sua voz em  minha mente era algo ensurdecedor. Seu rosto não tinha mais luminosidade  nem pureza, você só fazia parte, agora, do resto do mundo insano e  delinquente daí de fora. Você  fora tão hipócrita, que a minha análise agora é realmente cheia de  repulsas e repugnância.  Mas eu não conseguira controlar minhas  emoções (ou não-emoções). Sabe, foi tudo tão perfeito e tão pouco lúcido  que acabou ficando tolo. Você mentia, e eu acabei virando uma ou a  própria mentira. Aquilo, tudo, virou uma verdadeira hierarquia. Com  o tempo, eu posso te afirmar que formamos um tipo de jogo. Senti-me  fazendo as regras. Eu estava brincando com a suposta “farsa de emoções”,  e não sabia mais se estava ou não jogando sozinha. Mas, saiba que, foi  você quem começara. Me  senti usada, traída. Estava em uma relação indefinida. E, tudo que eu  fiz posteriormente, todos os conflitos emocionais que passamos não fora,  relativamente, por vingança. Não  é culpa minha você ter se sentido usado, traído. Mas, posso dizer que  foi destino, igualdade. Culpados de misturar aquela quase-pura-amizade  com aflições disfarçadas. Não foi ruim, não necessariamente. Mas mexeu  com os sentimentos, ou melhor, com a alma. E, então, depois de um tempo  perdi (perdemos) a sensibilidade, e se afastar fora a melhor opção. E  isso não doeu nem um pouco, pois no final de contas fora só um jogo, e  toda essa farsa que armamos conseguiu ser mútua.          
As vezes a vida não tem pressa em nos mostrar o caminho certo a seguir...
Eu tenho medo de desperdiçar meu tempo tentando achar o caminho e nunca encontra-lo.
Tenho medo de seguir um caminho e descobrir que não era isso o que eu queria.
Tenho inúmeros sonhos que se contradizem entre si
O que vale mais:
- Desenvolver um talento e atrofiar o outro?
Atualmente vivendo em uma sociedade capitalista, todos se atem a procurar aquilo que lhe garanta maior remuneração, e assim tentar encontrar a felicidade.
No entanto o que vale mais?
O dinheiro e depois a felicidade ou a felicidade e depois o dinheiro?
Uma pessoa rica sem felicidade será nada mais do que uma pessoa pobre de espirito.
Uma pessoa feliz sem condições de realizar seus sonhos, é verdadeiramente feliz?
E por isso tenho medo... Algumas decisões tomadas hoje podem alterar o futuro de modo significativo, e eu não poderei culpar a ninguém se não a mim mesmo pelo sucesso ou pelo meu fracasso.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...