sexta-feira, 27 de abril de 2012

O relato de uma noite sem fim...

1º CAPITULO



Me tranquei de tal maneira que seria quase impossível abrir-me para esse mundo superficial que agora vivo...
Todo o amor e tristeza, toda a solidão e felicidade, se tornaram contra mim e eu me tornei contra eles,
entretanto esqueci-me de que eu sem sentimentos seria apenas mais um zumbi que fica vagando em meio as cidades.
Sentimento após sentimento iam se aproximando e isso já não me causava medo, talvez pelo fato de que o medo também me deixara...
isso não me afetava, nem nada ao meu redor, eu havia me tornado um robô qualquer
repetia sempre as mesmas frases monótomas 'estou bem' como se isso bastasse para que um dia realmente ficasse bem...
Na palidez de minha pele era notável a falta de expressão... ou então fosse uma expressão de seriedade que não transmitia nenhum sentimento.
Já não sabia mais com que expressão renovar minha face
então pensei comigo - quando não se sabe por onde começar, então é melhor nem começar... -
Não quis mudar os aspectos da ocasião... 
quando olhada de longe a vida faz sentido. 
E agora eu pudera os observar.
Passei alguns dias trancada a mim, acorrentada a incerteza, mas certamente ciente de tudo o que estava acontecendo, entretanto não fazia questão de mover-me ou de mudar a tal situação, fechei os olhos com as mãos tremulas...
adormeci e ao acordar não tive nenhuma surpresas tudo foi real e agora eu haveria de sobreviver mais um dia... sobreviver pois quem vive usa seus sentimentos em função de sua felicidade quem sobrevive apenas se mantem distante da morte.
Mas eu sabia esse não é o meu lugar mas já não fazia diferença o escuro ou a claridade tanto faz eu abracei uma causa maior que era o meu ato de nada fazer além de contar estrelas no céu...


continua...


Fernanda Carolina B.


Queria aproveitar o post para dizer a vocês que estou com um blog novo...
sempre achei que se postasse algo aqui que não fosse relacionado a poesia então estaria fugindo do foco do blog então criei outro para que varios assuntos pudessem ser abordados...
Day-Dream. 
façam uma visita lá ele está no inicio só tem dois dias de vida haha conto com vocês.

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Farei.


Não gosto do silencio...
O silencio é minha alma que dança em dois 'eu'...
...o passado voltando para dizer oi.. Infelizmente odeio o passado..
não ele em si próprio, mas sim o que se sucedeu nele,
 eu saberia fingir que isso não pode mais me alterar, entretanto hoje não suporto mais.

Eles fingiram e foi assim que roubaram dias de vida das pessoas ingenuas...
certamente aquelas que eram ingenuas hoje já não são mais.
algumas se transformaram no mesmo que eles foram, outras apenas aprenderam as regras do jogo.

entretanto eu esteja a poucos dias de me transformar em uma louca... ou talvez já seja tarde demais.
...amo uma ilusão... admito é algo momentâneo...
mas amo o sabor de cada uma delas, nos tons suaves aos mais fortes.

...na vasta imensidão do passado estão escondidos os meus dias mais doces e amargos, lembrar deles não me convém...
é correto afirmar... eu vivi do passado, e vivi até quando o passado era só uma lembrança,
 vivi até mesmo quando o passado deixou de ser passado e se tornou apenas palavras verdadeiras ou falsas... contudo aprendi a não me limitar a isso.
.O meu passado fez-me o que sou (...) mas cabe a mim fazer do meu futuro o que eu quero que ele seja.

Fernanda Carolina B.

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Convivência.


Ele - Porque esta brava?
Ela- não estou
Ele- está!
Ela-não, não estou...
Ele- como pode não estar quando não olha em meus olhos quando chamo-te, quando fala comigo com suas palavras mais grossas(..)
Ela- como estou ou deixo de estar não interessa... sou grossa mesmo e não me convém mudar pelas criticas, você não tem o que querer saber então não me venha com perguntas sem fundamentos.
Ele- tem fundamento...
Ela- não, não tem!
Ele- tem!
Ela- é qual é?
Ele- matar a curiosidade..
Ela- que fique curioso
Ele- ...
Ela- então... você não vai virar as costas e ir embora?
Ele- Não.. você não viveria sem mim...
Ela- vivi até hoje muito bem!
Ele- até hoje... mas amanhã vai precisar de mim como uma viciada, você vai me procurar até que me encontre, e então tente se apoderar de mim e sem perceber eu me apodero de você... -ele sorriu ironicamente.
Ela-...
Ele- olha já começou
Ela- o que começou?
Ele- você... quer dizer, eu.. agora tenho outro sentido em sua vida
Ela- a claro que tem...
Ele- sempre tive. - afirmou sorrindo olhando para ela
Ela- até ontem não tinha, mas hoje o tem!
Ele-agora há um novo sentimento em relação a mim reinando em ti.
Ela- ...
Ele- ...
Ela- é você conseguiu minha pena.. ou nem isso - ela falou como se estivesse em uma guerra, entretanto a entonação de sua voz havia mudado e ia mudando de resposta a resposta... cada vez abaixando o tom cada vez se deixando envolver.
Ele- os meus argumentos são bem mais convincentes.
Ela- mas não são verdadeiros...
Ele-...
Ela- viu já está começando...
Ele- o que?
Ela- você.... alias eu, te desmascarei... e agora sou para você um desafio, porque não conseguiu me intrigar com suas palavras, não foi capaz de me colocar no seu jogo em que tantas já estiveram..
Ele- imaginação fértil a sua.
Ela- não... apenas reconheço o que é verdade.
Ele- então eu sou uma mentira?
Ela- não, mas construiu-se em uma..
ele parou um instante olhou nos olhos dela fitou-os...
Ele- admita...
Ela- o que?
Ele- o que seus olhos estão me dizendo
Ela- admita você primeiramente
Ele- o que?
Ela- o porque de tal persistência em uma conversa longe de ser agradável
Ele- admitamos juntos então?
Ela- não...
Ele- porque?
Ela- porque não.
Ele- porque não, jamais será resposta exata de tudo o que preciso.
Ela- acostume-se nunca terá a resposta para tudo que precisa.
Ele- ...
Ela- ...
Ele- então eu admito.. mas me diga acreditara se dizer que te amo?
Ela- talvez... depende até onde a sua verdade é capaz de se integrar as suas palavras.

Ela fitou os olhos dele abaixou a cabeça um instante e ergueu novamente... atordoada, mas decidida de sair dali sem marcas..
deu alguns passou em direção contraria a ele.. Ele percebeu tal afastamento segurou no braço dela... mas ele havia mudado, mudado como se algo o invadisse ou algo o deixasse


Ele- então se eu dizer que você é uma chata você não vai acreditar!
Ela- acredito... sei o que sou...
Ele- só comigo...
Ela- sou chata... com todos que realmente amo.
         (silencio...)

Fernanda Carolina B.


Desculpa o dialogo tão simplório
tão longe de tudo o que eu desejo para vocês...
a vida me toma por inteira... o relógio não para e mesmo que parasse o tempo continuaria passando me levando para todos os lugares onde devo ir me privando de milhares de coisas.



sábado, 14 de abril de 2012

14 de Abril.


...Como viver exitando as palavras com medo da reação dos seres que se encontram ao meu lado?
a vida mudou, eu mudei, mudei para ser feliz, a vida mudou para atrasar-me, para tentar evitar o inevitável..
.Todos os dias havia um breve momento de atrito e o dia que adiante de felicidade.
Hoje porém tudo se transformou criticamente, é um breve momento de felicidade e o resto de atrito..
.Ultimamente só sei agir negativamente com quem ajê negativamente comigo, não sei mais fingir sorrisos, 
não suporto mais permanecer em ambientes tomados pela plena discórdia dos seres...
A solidão não me traz alegria.. mas nunca a desejei como a desejo agora.
O silencio é preocupante, 
mas prefiro o silencio ensurdecedor do que os gritos de ira que se esvaem das bocas deles.

(...) não sei suportar a vida hostil, a futilidade, e tudo que me cerca.
Não sei ser julgada e ficar calada, não sei ser legal com quem eu amo...
é como se para disfarçar sentimentos eu usasse minhas únicas armas para que eles não descobrissem
como se eu o ignorasse apenas para me convencer de que não amo, mesmo quando uma voz inquieta dentro de mim grita em alto e bom som que amo...
amo cada milimetro e palavra.. certamente não sei amar do jeito certo.. 
Entretanto cada qual ama do seu jeito... 
não importa o jeito o que importa é que ama.

Fernanda Carolina B.


".. é incrível como começo a digitar e tenho um foco,
e como meros pensamentos que se esbarram em minhas palavras mudam totalmente o rumo do meu contexto."
14 de abril mais um dia, mais um aprendizado. 

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Sou.


Eu não sei onde está aquela minha antiga vida
onde está o mundo preto e branco que eu tentava colorir de todas as maneiras
as minhas músicas pesadas... e minhas roupas pretas... e a melancolia
tudo se acabou...
foram dias em vão tentando permanecer a mesma, tentando manter aquela personalidade que nunca me pertenceu...
em algum momento tudo parecia tão reciproco.. apenas para me convencer de aquele era meu lugar,
queria ser um ébano mas no fundo não passava de uma rosa cheia de espinhos.
Enfim.(...) meu mundo colorido brilha intensamente, o sol deixou de ser um borrão,
a vida deixou de ser um jogo para ser o que realmente é.
Transpareço o que sou.. e sou não o que me convém ser, mas sim aquilo que por consequências de meus atos me tornei.


Fernanda Carolina B.

segunda-feira, 9 de abril de 2012

.Minhas palavras se esvaem de minha boca e encontra o vago logo adiante.
no meio de uma multidão eu me perco, me acho, até perder a graça
Até que um sorriso tome meus lábios para si e esconda o que é só tão especialmente meu...
(..) ouvir tão mais do que o silencio... constato que a pulsação ritmada do coração ainda se faz presente
 me sinto sufocada como se já não houvesse mais espaço em mim,
como se já tivesse transbordado de sentimento; tivesse ultrapassado meus limites.
...meu olhar grita a imensidão de meus sentimentos
mas eles não aprenderam que o coração fala com os olhos.

Fernanda Carolina B.

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Desistir?


E ela chora desesperadamente com ânsia que o amanhã chegue e ela possa ter esquecido tudo o que se passa durante aquele momento,
é como esperar pela chuva e correr da tempestade...
e correu como se já estivesse sem rumo, correu como se estivesse perdida, até que já não conseguisse mais. 
Parou por um momento a beira de um precipício disse a si mesma... 
-É chegada minha hora, a hora que me liberto desse mundo
.Um homem apareceu e bocejando um sorriso perguntou:
-Por que fazer isso?
-Porque já não me convém viver...
-Por que não te convém?
-Porque... já não existe amor no mundo, nas pessoas em ninguém... cansei de todo teatro, cansei de toda falsidade, cansei de todo engano e toda ilusão, as pessoas de verdades foram mortas pela sociedade e hoje são apenas fantoches e eu não posso me limitar a viver aqui, não devo me acostumar com o frio com ilusão não devo me acostumar ao vazio das pessoas... quando na minha vida toda eu acreditei que tudo seria diferente. 
-E Deus não conta?
-...
- E a prova de amor que ele deu a ti não conta? e a vida que ele te proporciona não conta?
 Não percebe que para sentir o calor basta se agasalhar, que os problemas tem resoluções
e que o vazio se preenche, que tudo o que nos impõem apenas nos fortalece... a vida é para ser vivida. 
   .Afastou-se dela e caminhou em uma estrada qualquer até que já não se pudesse avista-lo...
ela sentou-se em uma pedra qualquer ficou ali por alguns minutos até que  sono fosse o único inimigo que a afronta... até que já não conseguisse mais lutar.
Quando acordou estava em sua cama olhou para os lados e teve a certeza de um sonho, e a incerteza da realidade. 
...A vida te dá motivos para desistir mas quem comanda sua vida, o mundo ou Deus?

Fernanda Carolina B.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...