sábado, 10 de março de 2012

Insegurança.


Mas doí, chega a latejar de tanta dor;
Eu me encontro no espelho e o meu reflexo parece ser tão convincente, certamente apenas o meu reflexo...
...e se eu me despir de tudo, no meu interior irei encontrar tão mais do que um coração que guerreia cegamente com a mente.

o coração que já está absolutamente atordoado....  não suporto essa guerra
entre amar, ou, recuara... a ponto de disfarçar qualquer sentimento que me ponha em risco.
Anseio a sua mera presença... ou então a sua ausência, até que eu me esqueça...
esqueça não só de ti como de todo o resto...

...me sinto iludida por minha imaginação, que inventa historias que jamais se sucederam,
me sinto usada por esses sonhos, quando acordo sabendo que nada é real.

isso só aumenta o fato de que volta-e-meia antecipo o sofrimento,
as vezes sentindo uma dor que não pertença a mim...
as vezes trocando a felicidade por essa insegurança.

Fernanda Carolina B.

4 comentários:

  1. Muito legal o texto!
    Me indentifiquei,como sempre.
    bjs

    http://blogtrashrock.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Obrigada pela visita no Embalaço...fiquei muito feliz em te ver por lá ^^

    Queria te convidar para ver o novo post fresquinho:
    http://embalaco.blogspot.com/2012/03/ficha-5-ben-barnes.html#more

    Acho que vai amar S2
    Fique ligada pois nova tag está por vir ;)

    Bjinhus, tenha ótima semana ^^

    ResponderExcluir
  3. Eu me sinto assim, e o que é mais hilário é o fato de que quando não sito a dor, me sinto vazia, como se a felicidade pra mim fosse um crime terrível.

    ResponderExcluir
  4. me refleti por completo no trecho: "me sinto iludida pela minha imaginação...."
    amo seus textos !

    http://help-adolecentro.blogspot.com/

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...