sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Sei lá...


Sei lá... essa foi as vezes a minha única resposta em relação a tudo;
E sei lá esse ano foi de tudo um pouco, Encontros e desencontros...
Mas nada importa, pelo menos não deveria importar.
Eu vi esse ano trazer pessoas que eu amei, e leva-las tão rápido que só me restaram magoas,
eu vi me apaixonar pela pessoas errada umas duas ou três vezes
e para cada paixão uma decepção maior
eu me vi trancar-me, vi-me esquecer de sentir ser uma pedra de gelo para não magoar, e deu certo...
Mas as vezes acho que perdi alguns belos sorrisos em função dessa escolha.
Me vi cair dos braços de Deus... E subitamente voltar até ele com grande arrependimento querendo somente um abraço do Pai.

Eu lembro de sem querer gostar acabei gostando e hoje sem querer ter algo contra tenho mil e um motivos que me impedem de olhar nos olhos dele.
 Perdi a minha melhor amiga para a revolta dela
e me vejo tentando resgata-la de lá até hoje.
Ouvi muitos dizerem me amar, e eu ainda acho que o único "eu te amo'' verdadeiro quem falou foi a minha mãe.
Entretanto o ano não foi assim de perda total...
Porque no meio de tudo isso... Eu encontrei uma ou duas pessoas que valem a pena dizer "esses são meus amigos"

Comecei o ano confiando em Deus e o mundo, e agora próximos do fim eu apenas confio em Deus.
E estou levando a vida sem tanta preocupação, eu cresci mentalmente de tal maneira que hoje "Uau" quem sou eu?
Cheguei em um momento que eu desisti do mundo, e hoje já não luto mais por ele...
As minhas lutas ultimamente já tem sido o bastante
Eu sempre tive minhas fases, e agora estou em transição saindo de uma para entrar em algo novo...

Esse ano foi só perda, e ao mesmo tempo só alegria... Foi metade de tudo
Encontrei a felicidade, entendi o que é Paz
E as pertubações do passado se tornaram tão pequenas que aprendi a conviver.
Não eu não sou mais escritora, não sou mais desenhista... Mas hoje eu posso dizer que eu tive o gosto de viver pelo menos um pouco...
2012 Ano tão imperfeito que foi um dos melhores... Valeu a pena.

Fernanda Carolina B.

domingo, 9 de dezembro de 2012

Grandes Lutas.


...Fecho os olhos, e vejo um mar turbulento que teima em me arrancar de minha calma.
Até onde as brisas vão estar se alternando com fortes ventos?
Deixei de ser aquela garota... E hoje me vejo renovada, me vejo longe do que foi um dia, as vezes sinto falta, mas alivio-me por estar longe de tantos espinhos.

Costumava olhar além do que os meus olhos eram capaz de ver....
Quis o impossível
e busquei o que muitos desistiram...
Planos acima de planos
horas antes de adormecer pensando em como seria
em como um príncipe chegaria...
e com o tempo a gente percebe que não existe príncipes...
Entretanto, minhas quedas só me fazem querer conquistar o impossível.

e que caia tempestade sobre mim, nada melhor do que dançar na chuva
e que venham grandes lutas... Hoje eu aprendi a lutar.

F.C.B.

Amados fiquem na Benção de Deus!

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Oração em uma noite qualquer.

Ó Deus me perdoe por lamentar novamente...
por deixar aquelas lembranças borradas entrarem no meu pensamento, abalando a expressão de felicidade que eu tinha.
Eu penso nele todos os dias... mas hoje eu estou mais frágil,
mais machucada, ou simplesmente mais carente;
Hoje eu queria ele... nem que fosse só um oi
queria pode-lo abraça-lo, falar como sinto saudades

Ou então queria... outro, outro que me abala da mesma maneira
como é gostar e ao mesmo tempo não gostar?
as vezes eu começo a falar dele...
- Nossa ele é um amor de pessoa né. Nossa ele é muito especial... perfeito não existe igual, como eu gost...
E por ai vai...
e lembrar de como é dançar com ele... a me faz sorrir, e ao mesmo tempo ficar meio sem jeito

Ó Pai... quantas vezes eu pedi para colocar as pessoas certas no meu caminho... e eu peço, retirai de mim os venenosos, os que só diminui, que só são veneno, que só são tristeza
colocai no meu caminho, todo o amor do mundo, toda a paz, e felicidade
não que eu mereça... mas é simplesmente isso que eu preciso
é tua filha que te clama
e eu só peço... Pai atende!

Fernanda Carolina B.

domingo, 23 de setembro de 2012

E Deus não erra nos seus atos
ele faz a chuva, afinal só assim poderíamos ver o arco-iris...
ele afasta pessoas de ti - livrai-me do mal... - ele simplesmente te livra do mal
mas não te deixa só!

F.C.B.

sábado, 22 de setembro de 2012

Decpção

Desculpa mais eu cansei...
cansei não do mundo porque dele eu já não esperava nada
mas eu cansei de você que diz-me - a gente é amiga - 
mas até agora você está apenas matando os meus sorrisos
destruindo meus sonhos
me criticando involuntariamente, ou talvez já seja descaradamente
existe certas coisas que eu não preciso saber
ou pelo menos que sejam contadas de maneira que não machuque

Eu só queria entender 
porque faz isso?
já quis propor, não brigar por futilidades, ilusões, garotos e blá, blá
mas parece que teima
eu já não aguento você querendo acabar com a minha moral perto daqueles que tanto lutei para conquistar
não aguento você consumindo com os meus sorrisos
e dizendo palavras que machucam de tal maneira 
eu não quero saber a sua opinião sobre os sentimentos deles para comigo
até agora tudo o que você falou foi se transformando em mentira

Ó Deus... Livrai-me do mal Amém!

livrai-me das cobras venenosas 
livrai-me dela que ultimamente não traz sorrisos, só destruição.

F.C.B.

Perdi a poesia, 
hoje com um tanto de ira eu só queria vomitar as palavras que estavam engasgadas na minha garganta
...e eu quero desabar
e se ele falou que se arrependeu, não importa afinal a palavra dele muda constantemente
mas o que eu não entendo se você gosta dele fala para mim e vou entender
só não entendo porque todos os dias você me preocupa mais
e não entendo enquanto eu falo não vale a pena eu me preocupar você vive falando fique preocupada
porra porque você esta se transformando nisso agora?
até ontem era minha amiga, mas agora parece querer ver-me no fundo do poço
acho que não tem mais como confiar em ninguém... hoje em dia nem em você.
que diariamente quer destruir minha felicidade. 

Amigo.

Amigo que é amigo não se ausenta da culpa
esta com você nas horas felizes;
Entretanto nas horas ruins também
 não te preocupa, te acalma
não piora a situação e sim ajuda a resolver
amigo que é amigo não rouba o que é teu, nem destrói o que construímos...
Amigo que é amigo, só te quer ver bem...
...o estoque de amigos no mundo está se esgotando
percebi isso quando os meus começaram a fazer o contrario do que um amigo realmente faria.

Fernanda Carolina B.

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Estranho.

Eu... sou uma garota cheia de vida... e as vezes cheia de nada
sou acima de meu peso
as vezes quando estou demasiadamente animada faço jejum ate as 3:00 da tarde
isso acontece quando ele me faz sorrir demais, ou quando meus problemas parecem cair sobre minha cabeça.
Entretanto tenho minhas recaídas... tudo vai bem e de repente eu penso nele, no que ele falou,
fico refletindo meus atos e pronto
Desmoronei de novo.
Parece um túnel escuro sem fim...
Parece não ter refugio, aí tento amenizar aquilo que chamamos de tristeza e o que tiver eu vou consumindo como uma maquina devoradora HAAAA!!

É assim essa minha vida louca... volta e meia quando eu estou no pódio, no auge da vida, eu me sinto lá em baixo no fundo do poço.
Dai alguém sorri de novo e eu começo a acreditar um pouco mais na vida
Vida essa cheia de altos e baixos, de amores e ilusões... de remédios (comida, dormir, ouvir musica) que as vezes se tornam monstros que depois de serem digeridos só aumentam o problema
é estranho...
Escutar músicas que até ontem eram só musicas,
Mas hoje são o retrato da minha vida.

Fernanda Carolina B.

domingo, 16 de setembro de 2012

Até onde.

Sei lá...
Hoje acho que não estou bem, acho que minha tristeza está começando a aparecer no brilho dos olhos meus;
Minha tristeza imperceptível...
Afinal os sorrisos não morreram, só os motivos que hoje se revoltaram!
Meus inimigos não saboreiam minha tristeza, pelo simples fato de eu não a demonstra-lá...
Minha tristeza percorre pelas veias sanguíneas, e volta e meia bate lá, no coração...
O coração não é um baú onde pessoas e sentimentos estão guardados, na verdade é só mais um órgão,
mas quando a tristeza bate lá, tudo começa a balançar,
eu vejo os sentimentos bons ficando cada vez mais distantes
e vejo como a escuridão devoradora vai se adentrando.
Ele indo embora, e ela sem perceber indo com ele
tudo porque? ó vida
Eu gosto dele, mas até onde um coração pode suportar sem desmoronar e assim destruir as pessoas e os sentimentos que nele tem?

Fernanda Carolina B.

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Acreditar.

E  após sequências de erros aprendi como é o jeito certo de fazer as coisas...
Nas linhas tortas da vida quem faz historia somos nós...

Achei estar entrando em um furacão novamente;
Mas acho que realmente Deus escreve certos por linhas tortas... Linhas de tão tortas que nem linhas são,
linhas apagadas, linhas que com o tempo vão se montando e desaparecendo.
Mas o que importa não é a linha em que estamos
o importante o que nela se deixa

Creio que historias antigas voltem a reviver só que com novos personagens
creio que o tem que ser será
e se é teu mesmo distante continuara sendo teu
creio que um dia, talvez hoje, seja o dia mais feliz da vida,
a gente nunca sabe em que esquina vai conhecer a pessoa que mudar a nossa vida.

E hoje com tanta esperança, sinto que Deus emana fé sobre minha alma que hoje sorri... Que hoje vive!

As vezes a gente só precisa acreditar.

Fernanda Carolina B.

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Burra


Eu naveguei sem ao menos ter entrado em um barco
Eu voei sem tirar os pés do chão...
Admito que por instantes meus sorrisos mais inocentes se faziam presentes...
Mas agora, eu aqui escrevendo um texto qualquer, vendo a poesia voltar as linhas de minha vida
da minha vaga vida...

Parece que tem um mar inteiro dentro de mim pronto para sair em forma de lagrimas
Burra! não soube aprender com os erros... Afinal sempre o mesmo problema "A pessoa errada"
a paixão errada, o momento errado, e após isso eu voltando para aquele lugarzinho que vai me isolando que vai me tirando o colorido da vida, que vai me tirando o gosto adocicado e salgado de viver e vai me amargando.

Fernanda Carolina B.

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

De mansinho.

E foi assim... de mansinho, com toda a calma do mundo,
você bateu a minha porta, eu fingi não ouvir, mas continuou batendo não cessou...
.Abri então, você segurou em meu braço... Mas eu corri, fechei a porta, tranquei as janelas me isolei de você;
Porque não sei, você não fazia a minima diferença para mim
os dias passaram e as vezes parece que eu te conheci ontem...você não significava nada
Mas aí um balde de água fria foi jogado no meu orgulho e o coração voltou no ritmo
comecei a me tornar humana, e deixar de ser um robô frio
Achei que agora eu já tivesse perdido tempo demais, e você junto...
mas como perder algo que nunca me pertenceu?

E aquele que antigamente me confundia todas as noites com suas frases mal feitas
foi se tornando tão insignificante que parecia não importar...
agora era eu, você, e a luz do luar sobre nossas cabeças
- Mas, você nunca vai me pertencer
e eu nunca serei inteiramente sua... uma parte de mim ainda vaga meio sem rumo, meio sem amor
entenda... eu sou tão sua quanto você é meu... na verdade tu é dela e eu sou minha
mas se um dia você ficar sem dona eu te adoto... se um dia você quiser eu me empresto para você
não é amor nem paixão e muito menos ilusão... não é nada
é só que as vezes, ou o dia todo eu penso em você.

Fernanda Carolina B. 

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Perigo.

Talvez eu seja a garota atrasada para minha idade
as vezes acho que tenho 10 anos de idade e ainda estou tendo aqueles amores platônicos pelos meninos que me encantam... Aquela que parou no tempo, praticamente nunca beijou, praticamente nunca se relacionou,
não sou de "pegar", sinceramente, sou de me apegar e é essa a minha falha.
Eu te amo porra, e porque é tão difícil te falar isso?
eu te amo, e amo, e amo
e ao mesmo tempo odeio, e odeio.
Talvez eu ainda esteja presa a ilusões do meu passado,
mas as vezes aparece uma flecha colorida apontando para você
e eu estou ainda tentando negar para mim mesma o que está tão obvio em meu olhar, em meu sorriso
Eu estou brava com você entenda... Daí você sorri e meu mundo sei lá, começou a funcionar, um arco-iris começou a reaparecer
o brilho no olhar voltou o sorriso se refez
...Desculpe-me coração aí vem mais um amor platônico, escondido, em mais uma montanha com milhares de placas dizendo "Perigo".

Fernanda Carolina B.

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Não faz falta.

Tumblr_m9jgjfncmu1rdzcfao1_500_large
Aaa... Vida... Que ironia, ou talvez bipolaridade;
Mas hoje acordei com raiva, talvez porque ontem a noite a raiva a magoa foi me enchendo,
enfim sonhei com ele e ela, mas não foi sonho, foi uma visão da realidade
acordei e ela toda alegre sorriu, chamou-o e eu não sabia mais se me enfurecer valia mesmo a pena
ele chamou-a; Parei um momento encostei em uma parede qualquer, os observei, as vezes na espera que ele me chamasse também, porque ela não chamaria.
Mas não, não foi preciso muito tempo para que eu entendesse ele não iria me chamar
Eu não faço falta...
'Então eles não me fazem falta'. 
Ta bom, como se eu conseguisse ser mesmo assim tão falsa comigo mesmo
e quem dera se eu pudesse escolher
hoje eu estaria com quem em ama, e não com raiva porque no fundo ele gosta dela, e eu gosto dele...
 .O coração está precisando de óculos, aparelho auditivo, precisando de um amor de verdade, porque até hoje esses amores são todos made in china

Mas aí, cansei de ser certinha, a vida é feita de baixos e altos, loiros e morenos... e não só dele.
É só aprender a me concertar quando eu quebro
Eu não preciso de ler texto de auto ajuda para ser feliz... eu preciso de pessoas de verdade
e não de promessas.

Fernanda Carolina B.

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Vida.

Tumblr_m8jor7bqeq1rbp2wxo1_500_large

Não dá para se resumir nessas palavras...
A vida tem que ser vivida... E as vezes a logica deve ser desconsiderada
Eu quero mais ritmo, quero mais sons, eu quer mais verdades, eu quero mais paixões, e amores
Eu quero descomplicar, desembaraçar, quero ver como é ter tudo desorganizado
ver como é, ser, por um momento de pura lucidez uma bêbada...
eu quero correr pelas quadras do bairro, e no fim de tudo não quero precisar de alguém para ser feliz
eu quero ser feliz pelo simples fato de ser
eu não quero ver minha vida resumida em um poema 
eu quero menas fotos e mais lembranças boas
eu quero menos textos e mais vida
menos sono.. entretanto mais sonhos
e se preciso for eu pego lápis de cor, e saio por ai colorindo a vida.
eu quero nos momentos tristes ter alguém que me abrace sem eu precisar pedir.
e nos momentos felizes continuar tendo-o 
eu quero ver o irreal se tornar minha vida
eu quero ver ele me abraçando toda vez que me encontrar 
resumindo... eu não quero mais resumos 
eu quero viver cada detalhe 
escutar cada som
dançar em qualquer ritmo desconexo
ouvir musicas bragas e depois posar de chique 
eu quero... não
eu já vivo! 

F.C.B.

domingo, 5 de agosto de 2012

Feliz.


E no meio desse tédio todo as vezes bate uma vontade de viver,
uma vontade de levantar dessa cadeira tomar um banho, trocar de roupa me maquiar, colocar minha musica preferida apenas para dançar em frente ao espelho, imaginando os meus sonhos básicos se realizando
colocando aquele brinco que eu particularmente adoro, saindo a noite e de repente olhando para o outro lado da rua e vendo ele... empinando o nariz e sorrindo passando reto por ele
porque eu cansei...
ufa... finalmente.
Finalmente chegou a momento que eu enxergo com clareza, foi preciso uma lente de contato admito mas o importante é enxergar
e lá vai um trecho que mais parece auto ajuda... e espero que ajude:
resumindo ser triste enche muito o saco
sei lá faz mal...
só para simplificar: o remédio para nossas dores é ser feliz =)
não é sorrir por fora e desmoronar por dentro, é só entender
a vida vale a pena
que nós valemos a pena, e que se foda quem não acha.
afinal a felicidade vale a pena...
e se vale a pena porque não tentar ser feliz?
a felicidade nasce da vontade... porque se almejar, conquistaras...
porque ser louca no fim das contas é a melhor maneira
porque ser preto e branco é encantador, mas bom mesmo é poder colorir
bom mesmo é ser eterna criança, bom mesmo é se arriscar
é viver sem medo do amanhã
bom mesmo é cada dia ser uma nova historia
bom mesmo é ser feliz.


Fernanda .C. B.

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Diário.

602371_101473269998433_1421269325_n_large
Giovana morava em uma cidade pacata, nem longe e nem perto das grandes cidades,
ainda garota, escutava musicas de cantoras pop... Tinha um diário, na verdade já era o seu decimo e estava tentando mante-lo.
Pensava ela "vida, porque é assim tão conturbada sempre traz mas parece sempre querer levar"
Era menina, e estava saindo de uma amizade com uma garota que um dia ela chamou de irmã..
Não doeu, o coração estava intacta, não tinha tantas preocupações na vida, afinal, com o que poderia se preocupar?
O tempo correu como quem parecia estar em uma maratona
e Giovana conheceu Caio...
e agora ele ganhava inúmeras paginas do diário dela... Um trecho do diário de Giovana dizia
" - Caio, talvez o único e primeiro que tenha conseguido me tirar o sono, eu não sei o que é isso que me tira o sono, eu não sei o que é isso que faz meu coração acelerar e me faz encher de esperança, não estou gostando dele, talvez esteja acontecendo o que eu menos esperava estou me apaixonando, só sei que não posso me iludir..."
Sensata ela pensava nos seus sentimentos, e pensava em si, agora menina ingenua andava cantando musicas românticas pelas ruas que passava..Mas as vezes se entregar desse jeito é o mesmo que se jogar em um precipício

Eles volta e meia se encontravam, não era algo diário talvez meio semanal, meio mensal, meio em pensamento, meio em sonho
A menina ali ao lado dele com um milhão de palavras presas a garganta querendo gritar eu te amo, mas calada sem se expressar, os olhos dela brilhavam cada vez mais, querendo abraça-lo e sair correndo,
e ele o maior mistério dela.
 Caio, garoto ou melhor, adolescente olhava para ela, e ela tentando disfarçar olhava para o chão.
O tempo passou, a cada dia ela se deixava conquistar mais, cada dia aquilo ia parecendo ficar pior era questão de dias
Então ele a abraçou tomou-a em seus braços, seus lábios se tocaram, ela nem levava jeito para isso
mas era o momento esperado.. Um abraço forte, os olhos e sorriso dele, e todo o resto foi ficando gravado na memoria dela, ele foi... e o diário dela agora dizia

'' Eu o amo mais do que nunca, hoje foi o dia mais feliz da minha vida, ele finalmente me abraçou e fez meus sonhos reais... seus lábios nos meus lábios seus braços em volta de mim, não sei se vou dormir hoje, acho que ainda tenho que ficar acordada para não acordar amanhã e pensar que só mais um sonho''
Eu já havia citado: Ela se entregou. E agora de braços abertos ela estava caindo sem perceber..
Caio lutou por ela, então após aquele beijo ele havia conquistado o que almejava então já era momento de sair de tudo aquilo... Agora era sumir enquanto ela se desintoxicava dele
mas as vezes parece que era uma overdose que ela tinha, como se ele fosse uma droga
e ela tinha que tomar uma dose dele pelo menos uma vez ao dia... Ele sumiu aos poucos, ela desintoxicou..
Não esqueceu, creio eu que ela aprendeu finalmente o que o mundo pode fazer com os sentimentos dela,
e o diário dela ia ficando de cor-de-rosa para cinza

''Eu amava aquele idiota, eu me deixei levar e ele me deixou, porque a ingenua sempre pensou que não ia ser assim
eu lembro, ela me avisou que seria assim, lembro de como aquela garota que conhecia ele disse que ele era
mas chega não preciso mais falar disso, ele hoje é desconhecido''

E foi preciso tempo para superar, e mesmo com o tempo ainda não havia superado... é demorou as vezes parecia que nunca ia esquecer
... esqueceu, começou a amar outra pessoa e finalmente agora ela amava-se
Bem a Giovana não esqueceu dele, afinal ele trouxe a visão do mundo que faltava a ela
Nesse ponto da vida o diário já foi jogado no lixo a muito tempo, nesse ponto ela já se reposicionou na vida
nesse ponto Giovana faz das lembranças aprendizados.
''Não vale a pena desperdiçar a vida sofrendo porque uma estrofe da historia não foi perfeita"

Fernanda Carolina B 

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Amanhã passa.

CHEGA!
gritei em meio um quarto com a luz acessa digitando em um computador
olhando eles discutirem minha vida, e me impedindo de opinar
eu cansei de todos os pontos de interrogação que surgem na minha cabeça
eu cansei da voz dela quando fala o meu nome
eu cansei dele discutindo com ela sobre mim e eu de longe escutando meu nome...
depois de algumas doses ele desmoronou
depois de tanta preocupação ela se exaltou
e eu, o mundo as vezes parece que não tem outro assunto a não ser eu...
e dai se eu errei, e dai se eu chorei com um telefone na mão, me diz o meu erro?
ela quer me proteger, fala coisas sem pensar, me ama, mas aos poucos me machuca mais
as lagrimas escorriam, aquela cara nem de choro de desespero
eu olhei nos olhos dela e falei, destravei
limpei minha alma, com o coração pulsando, quase saindo pela boca, e as vezes parece que a paz brinca de pega pega comigo, as vezes vem e as vezes me faz correr atras
mas sinceramente eu to bem, não bem como deveria
mas sei lá, vou dormir amanhã passa.

Fernanda Carolina B.

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Não sou poeta.

Tumblr_m4hndzdeik1qdoilso1_500_large

Não é você que vai me prender aquele passado obscuro...Em que os sorrisos soavam tão falsos,
e as palavras caiam como pedras sobre mim.
Não é você que vai me fazer perder a cabeça,
as mudanças ocorrem sem percebermos e mudei... O passado é parte importante da minha vida, mas não o passado que você me abraçava.. Mas o passado que eu me desapegava.

Olhei pela janela e vi o mundo lá fora e não me contive aqui, só, nesse quarto, eu me descobri e eles me descobriram..
 Minha mascara caiu, e a garota tímida deixou de ser.
Fora dos trilhos esse é meu caminho..
olhando nos olhos de quem converso eu consigo ver até onde o que me falam é verdade.

Longe de você eu me vi feliz, dançando no meio da rua,
cantando até desafinar... fazenda da loucura um estilo de vida
chamando atenção, fazendo da vida brincadeira..
fazendo dos desconhecidos amigos...

porque a minha poesia se baseava na dor
hoje não sou poeta entretanto sou feliz.


Fernanda Carolina B.

sábado, 7 de julho de 2012

Lado de dentro.

 
Bela ironia de vida... Eu sempre achei que já tinha chegado no ponto, que eu já havia saído do forno
Que a garotinha que em mim havia já tinha se tornado mulher, pensei que enfim tinha me encontrado, olhei no espelho.. um reflexo pensei que era o bastante, talvez eu tivesse me encontrado, esse foi meu engano.
 Foi me perdendo que eu me encontrei, e quando eu me encontrei percebi que na verdade eu sou cabeça para baixo... 

Todo esse tempo vivendo longe de minha realidade, procurando nos outros aquilo que deveria estar em mim, e admito, sempre tive tudo que precisava, mas só hoje percebo que o meu lado certo é o de dentro.
Só o presente é capaz de me trazer o entendimento do passado, e hoje aos poucos eu sei o porque da timidez e do orgulho e de todas as conversas travadas em minha garganta...
 Hoje compreendo os erros, mas não me julgo e vocês também não deveriam me julgar, antigamente eu era apenas um protótipo.

Fernanda Carolina B.

domingo, 17 de junho de 2012

Debatendo um amor.

385635_3651466037738_1007123665_32877662_518152485_n_large
Olá, sumida...
oi
como vai?
vou indo pelo caminho, como sempre
e o coração?
ainda pulsa sangue para as veias...
e os amores?
minha mãe ainda me ama como sempre... e eu também amo ela como sempre
e ele?
não sei
não sabe o que?
dele
mas você ama ele.
também não sei
esqueceu?
não
então como não sabe se ama?
porque a flor depois de muito tempo sem ser regada vai secando perdendo a cor, a forma, as pétalas caem uma a uma até que já não reste nada.
e o que restou?
é o que eu me pergunto todos os dias
e achou a resposta?
creio que sim... mas é difícil admitir
admitir o que?
que talvez lá no interior onde ninguém consegue ver e as vezes nem eu ainda há uma pequena pétala vermelha.
e porque tem medo de admitir isso?
porque chega uma hora que a gente cansa de ser tonta... otária.
sentir não é ser otária.
sentir não... mas cair no mesmo joguinho pela segunda vez é.
mas você ama ele
amo.
então?
então que eu me amo também
então porque não fala para ele talvez ele sinta o mesmo e fique com você dai você seria feliz.
talvez... há sempre um talvez não é mesmo, porque nunca a certeza no que as pessoas dizem? e se talvez eu me cercar de ilusões ridículas novamente e acabar sendo uma ridícula de novo...
isso é paranóia!
não isso é amor
se fosse você estaria lá falando para ele isso.
não é amor, e eu me amo muito para arriscar meu coração
ele não é um risco é seu amor
desde o momento que ele conseguiu retirar uma lagrima de meus olhos, então ele é um risco.
vai deixar ele ir?
ele não está aqui... então quer dizer não posso deixar algo ir se eu não tenho posse dele
e se ele voltasse
eu ficaria sem chão
ia fugir?
não
ia ficar?
talvez
porque talvez?
porque eu aprendi, que ele vem, mas ele sempre vai... assim sem avisar, só pra variar, ou talvez só para machucar.
nossa
pois é...
e agora como vai ser
não vai ser
então?
então que eu continuo vivendo aqui e ele lá
porque você está se fastando de quem te faz feliz?
não sei.
...
acho que a felicidade devia ser mais simples, só para facilitar
e ai? não é simples e o que você vai fazer.
não posso fazer nada
porque?
porque eu não posso amar por dois.

Fernanda Carolina B.

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Meu Sonho.

image

Ele olhou em meus olhos, sorriu eu sorri e não contive em mim disse:
-queria tanto saber o que você está pensando agora
- Que eu sinto sua falta.
-Serio?
- Se não fosse eu não estaria aqui

Meu coração disparou, saltou de meu peito, querendo explodir de alegria
ele segurou minha mão para me elevar a ele, cruzando meus braços lhe entreguei as duas,
caminhamos em meio uma praça oval, pude visualizar pessoas que me criticariam se vissem como o braço dele passava sobre meus ombros, e como eu volta e meia o segurava pela cintura
escolhi um banco distante de olhares alheios...
e ele ali sentado ao chão escorando-se no banco em que eu estava, dizendo que queria voltar... falei a ele
-estou confusa...
-senti sua falta, quero você depois a gente vê se eu ficar só ou não.
duvidei, pensei apenas que queria a mim porque agora não tinha mais ninguém...

Em meio as ruas vi um amigo que caminhava, na verdade quase corria, rindo incontrolavelmente gritei ele e fui a sua direção deixando aquele que me acompanhava só, por alguns segundos
perguntei a ele se estava rindo de mim, talvez porque fui ingenua...
respondeu-me dizendo que não, então voltei para aquele que me esperava, e ele parecia falar consigo mesmo dizendo que ainda há sentimentos em relação a mim existentes nele...
meus olhos brilhavam ao olhar os olhos dele... eu o amava.
Quando de repente há algumas quadras da casa dele ele me deixou e foi caminho, eu lá só, aos poucos me vejo rodeada de amigos
achei que ele havia me deixado quando vejo-o conversando com uma tia dele dizendo a ela
- preciso que você conheça uma pessoa
ele me apresentou a ela e deixou a comigo enquanto voltava para falar com seus pais
não tive muitos assuntos com ela, minha felicidade era notável, eu o amava eternamente e finalmente esse amor era correspondido.
depois de um longo abraço fui para casa... no dia seguinte eu queria apenas encontra-lo, e poder te-lo comigo mais uma vez.
peguei uma bicicleta por sinal era amarela e mesmo sem equilíbrio eu tentei encontra-lo, parei perto de um caminhão que estava estacionado poucas quadras de minha casa, distante de meu destino final.
fechei os olhos um instante, abri-os, quando percebi que estava em minha cama em meio a madrugada...
eu lá com o coração na mão e algumas lagrimas aos olhos tendo sonhado com ele, tentando me consolar porque tudo não passou de um sonho.

Fernanda Carolina B.

domingo, 10 de junho de 2012

cansei de reprimir sentimentos...
eu sempre volto para o lugar que mais amo, mas não consigo dizer que amo.
o coração dispara, bobo, acelerado ridiculamente sem direção
as pernas bambas, milhares de coisas passando em mente
e oscilo entre sorrir e chorar.

milhares de tentativas em vão de esquecer o que me fez ser quem sou
todo verão eu esqueço mas ai chega o outono frio dizendo ao meu ouvido
coisas que só me fazem recorda-lo

eu deveria ter mais amor próprio
ou talvez eu tenha mais já não consigo ver
toda primavera você vai... e eu odeio me despedir, talvez a dor da despedida vá me destruindo aos poucos e ver você voltar é estranho... porque eu já não sei até onde a sua verdade é real
e não sei até onde sou capaz de suportar
e quantas vezes eu vou superar... e por mais que eu diga que esqueci
determinadas coisas estarão sempre gravadas em mim.

Fernanda Carolina B.

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Karma.

Girls_fashion_vintage_foto_moment_yourstokeep-3374ccc0618ed76b952125899d57621c_h_large

eu falo... e falo... e continuo falando, e é como se ninguém ouvisse-me
as vezes a minha audição também falha, me sinto perdida  ali congelando de frio, segurando um coração e tendo duas opções em mente - joga-lo ao vento e que congele também, ou, deixa-lo se consumir por uma chama sem fundamento...
eu já disse para mim mesma milhares de vezes que ser fria é o melhor jeito de ser...
mas no fundo eu sei que não é
tenho medo de magoar e por isso eu sempre fui fria nunca gostei de estar abaixo de zero mas é melhor do que ter um coração fatiado em pedaços
a questão é encontrar a pessoa certa... eu encontrei, e juro que tentei
mas a pessoa errada é a que me atrai
é a que volta e meia anda pelos meus pensamentos
talvez seja um tipo de karma... o que eu não entendi é... o que eu fiz para meu caminho ser assim hoje?


Fernanda Carolina B.

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Apaixonada.

Img_6183-edit_large

Chuva batendo em meu telhado... e pensamentos repetitivos invadindo a minha mente,
sempre o mesmo pensamento monótomo...
Se eu tentar ser eu mesma quem saiba coisas supérfluas possam me invadir, entretanto me tragam a alegria de viver, estranho falar assim da felicidade, assim, como se ela estivesse brincando de esconde-esconde...
o problema não é que a felicidade se esvaiu de minhas mãos, o problema é que fechei meus olhos para ela durante todo esse tempo

Sou feliz... de fato isso é uma verdade, talvez eu pensava que era triste, e por isso eu então realmente fosse...
hoje não tenho motivos grandes para ser feliz, mas não ter motivos para chorar já é o bastante.
Lembro como eu vivia em um mundo preto... nuvens carregadas rondando minha cabeça,
pensamentos atordoados suavizando em minha mente, sentimentos ocultos frustados navegando em meu coração... Eu vitima de mim.
Acho que ser feliz é a maior loucura que eu já cometi, e me chame de louca porque a garota de óculos e de roupas pretas talvez tenha se transformado na garota cor-de-rosa
e dai se for... e dai se eu quiser viver assim, tenho meus direitos
afinal garota apaixonada não mede limites e hoje olhei no espelho e me apaixonei pela vida.

Fernanda Carolina B.

É hoje o texto foi fraco... põe fraco nisso desculpe-me gente prometo que vou dar mais atenção pro blog é que me vi tão empolgada com as novidades e me deixei levar e esqueci-me do meu cantinho
esqueci de como todas as vezes que desabafo eu encontro paz...
é são provas e o DD na próxima eu melhoro

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Confusa.

Tumblr_lozxzyzerq1qeu4jyo1_500_large
nunca precisei de palavras para saber o que sentia
mas sempre precisei saber o que sentia para dizer as palavras... então minha função é ficar calada porque me deparo novamente com aquele antigo mundo, mas de uma forma reformada
não são os mesmos sentimentos, e nem as mesmas pessoas,
mas continua sendo confusão
continua sendo tudo muito disperso...
aprendi a disfarçar tudo
eu aprendi que ele não deve saber o que se esconde por trás do meu olhar,
eu sei que o mundo não pode me compreender, então  nem faço mais questão disso
só acho que cada dia fica mais evidente de que eu sinto aquele vazio, e esta cada vez mais evidente que só você é capaz de preenche-lo...
e não quero falar de amor, nem de compromisso... porque me farto de amores platônicos...
e me farto de minhas fantasias, e você vai continuar ai como sempre esteve e eu aqui esperando um dia acordar não ter que olhar no espelho,
acordar livre desse sentimento.


Fernanda Carolina B. 

terça-feira, 22 de maio de 2012

Relato de uma noite sem fim.


CAPITULO 2

E aí? como tudo continuou pairando sobre mim
o sol da meia noite cegou-me, o silencio me ensurdeceu, e por horas quase dormi pensando nele...
mas quem é ele, quando ele não passa de uma lembrança desconexa...
creio que ter contado milhões de estrelas não foi o bastante para que minha mente se aquietasse
e ter feito pedidos a todas aquelas estrelas cadentes também não foi o bastante... eu ainda continuo aqui com minhas lembranças, fingindo ser melhor do que ontem como se eu tivesse superado algo que a anos está presente em mim...
então olhei para os lados daquela rua escura... eu escutei o som que o vento fez, senti minha pele ficando fria...
eu ali parada, esperando por ele, ou por uma decisão minha
eu poderia ter me jogado em meio aquela rua e esperado por um carro, mas convenhamos não sou idiota...
acho que sou como um vídeo game cheia de fases e essa é só mais uma...
o momento triste e filosófico de minha vida
a gravidade me retendo, e eu, a, eu retida aquelas lembranças de antigamente
sonhando com ele, e rezando para que ele não tenha sido mais um sonho meu... pelo menos não ainda
porque eu queria sentir o doce de amar só mais uma vez... talvez pela ultima vez, nem precisava ser muito só para eu matar a vontade daquele sentimento que ficou todo esse tempo escondido por trás dos meus batimentos cardíacos...

Fernanda Carolina B.

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Passado que tanto almejo.

Tumblr_m00zcswsnw1r3pi76o1_400_large



Eu aprendi a acreditar em minhas mentiras ou pelo menos eu tento acreditar
os anos vão passando, os dias, os momentos, pessoas chegam e outras se esvaem
e sempre foi assim
e eu sempre estou bem preparada para tudo... ou quase tudo
no entanto quando me deparo com a verdade paraliso-me
eu não quero que a verdade seja realmente verdade... queria apenas que ela fosse um mito, ou então parcela dela fosse.

Minha vida seguiu caminhos que nunca pensei que um dia seguiria
e tudo mudou assim de repente
mas no meu interior lá onde ninguém vê eu sou ainda aquela garotinha com os mesmos sentimentos, com as mesmas lembranças, e talvez aqueles sonhos continuem aqui...
entretanto eu aprendi a mentir para mim mesma
e a mentira se mantem comigo até que um dia qualquer eu veja o meu passado caminhando em minha direção e meu coração comece então a acelerar.
é ilusão pensar que um dia o passado realmente não faça mais sentido
 já que no meu interior eu o almejo todos os dias.

Fernanda Carolina B.

domingo, 13 de maio de 2012

Mãe.


... abri meus olhos para este mundo insano, e é essa a explicação para eu ter chorado tanto naquele momento de vida.
Antes eu habitava nela, só nela, sentia ela... e ela queria que eu a sentisse,
e escutava ela conversando comigo, e mesmo que fosse loucura o fato dela olhar para si mesmo e falar comigo lá dentro ela continuava falando...
eu chorei, porque agora fora dela talvez ela pudesse ir embora, e eu já não pudesse estar com ela...
Acalmei-me, ela me segurou nos braços, e nem me lembro se dormi ou olhei para ela...
mas tive a segurança dela...

cresci e me transformei no que sou, aprendi errando, mas em todos os acertos que tive, talvez parcela deles eu devo a ela.
Me senti amada durante todo esse tempo, perto ou distante eu estava protegida de alguma maneira e continuo...

muitos desacreditaram no amor
outros ainda acreditam...
alguns acreditam em amor a primeira vista e outros dizem que isso não passa de bobagem
e eu ainda teimo em acreditar no que o mundo acha que é mais um mito
porque amor a primeira vista existe, e a prova disso é...
A primeira vez que olhei para ela, eu já a amava eternamente!


Fernanda Carolina B.

Feliz dias das mães... em especial a minha! Te Amo.


sábado, 5 de maio de 2012

Namorando?

- e ai está namorando?

- tecnicamente estou sentimentalmente não...

- mas você não gosta dele?

 - acho que eu não sirvo pra alguém com os mesmos defeitos que os meus
e acho que meus defeitos estão nele
não esta dando certo
ainda não disse nada
sempre falo que eu estou em uma amizade colorida
mas as vezes minha vontade é pegar uma borracha e apagar tudo de uma vez, sabe?
acho que seria bem melhor
bem melhor mesmo
sabe aquele tipo de pessoa que não te altera
minha felicidade não vem dele
e acho que se não tem pulsação acelerada 
se não tem sorrisinho que escapa sem querer
e se não tem sentimento, não vale a pena...
e eu ate tentei me acostumar com a ideia de gostar dele
mas foi em vão...
não estou triste só acho que somos imperfeitos um para o outro.
...não existiu eu gosto de verdade, e mesmo que existisse só gostar não é o bastante.
ele passa por mim e eu passo por ele e é como se ele fosse um desconhecido.


Fernanda Carolina B.

quinta-feira, 3 de maio de 2012

Queria.


Queria poder retornar de onde comecei para mudar alguns gestos e decisões
O desconhecido foi feito para ser descoberto
Talvez minha descoberta seja uma surpresa para vocês ou talvez seja só mais uma descoberta rotineira
Sou humana nessa condição sou uma das tantas que erraram no decorrer dos meus dias.
Errei tentando acertar... Quando acertei queria apenas ser notada
nada será capaz de modificar o passado as palavras que são escritas de caneta nada pode apagar sem deixar marcas
não posso mudar o que passou, mas me convém mudar o que virá...

Fernanda Carolina B.

Sem horizonte.

B225ebc42ad1eafc76f55ee804da4359_large
E continuar andando em um caminho que não tem um horizonte, então esse caminho não te levara a felicidade....
e foi assim que me senti diante dos acontecimentos rotineiros...
Estou ainda na escola da vida... eu já aprendi como viver só que não me acostumei a praticar
Reconheci os meus defeitos no entanto jamais os achei especiais...  passei a ser contra eles.
Não aprendi a amar e quando amei.... amei alguém com os meus defeitos
como conviver com uma outra eu, se sozinha já não sei me suportar?

Deixei levar enquanto pudesse entretanto eu esqueci-me de que meus defeitos são meus pontos fracos e ele sempre os teve nas mãos
Não sei o que restou, se é que algo restou... Afinal meus defeitos e eu, pelo menos a antiga eu, destruíram tudo
 Me perguntam por que o passado deixou de me agradar?
instantaneamente eu penso no que foi um dia e respondo...
-porque errei...
-mas errar é humano
-mas eu não quero ser mais um humano igual  resto do mundo
-por que?
-porque eu não sei me limitar aos erros e tentar redimir-me com um simples pedido de desculpas.


Fernanda Carolina B.


sexta-feira, 27 de abril de 2012

O relato de uma noite sem fim...

1º CAPITULO



Me tranquei de tal maneira que seria quase impossível abrir-me para esse mundo superficial que agora vivo...
Todo o amor e tristeza, toda a solidão e felicidade, se tornaram contra mim e eu me tornei contra eles,
entretanto esqueci-me de que eu sem sentimentos seria apenas mais um zumbi que fica vagando em meio as cidades.
Sentimento após sentimento iam se aproximando e isso já não me causava medo, talvez pelo fato de que o medo também me deixara...
isso não me afetava, nem nada ao meu redor, eu havia me tornado um robô qualquer
repetia sempre as mesmas frases monótomas 'estou bem' como se isso bastasse para que um dia realmente ficasse bem...
Na palidez de minha pele era notável a falta de expressão... ou então fosse uma expressão de seriedade que não transmitia nenhum sentimento.
Já não sabia mais com que expressão renovar minha face
então pensei comigo - quando não se sabe por onde começar, então é melhor nem começar... -
Não quis mudar os aspectos da ocasião... 
quando olhada de longe a vida faz sentido. 
E agora eu pudera os observar.
Passei alguns dias trancada a mim, acorrentada a incerteza, mas certamente ciente de tudo o que estava acontecendo, entretanto não fazia questão de mover-me ou de mudar a tal situação, fechei os olhos com as mãos tremulas...
adormeci e ao acordar não tive nenhuma surpresas tudo foi real e agora eu haveria de sobreviver mais um dia... sobreviver pois quem vive usa seus sentimentos em função de sua felicidade quem sobrevive apenas se mantem distante da morte.
Mas eu sabia esse não é o meu lugar mas já não fazia diferença o escuro ou a claridade tanto faz eu abracei uma causa maior que era o meu ato de nada fazer além de contar estrelas no céu...


continua...


Fernanda Carolina B.


Queria aproveitar o post para dizer a vocês que estou com um blog novo...
sempre achei que se postasse algo aqui que não fosse relacionado a poesia então estaria fugindo do foco do blog então criei outro para que varios assuntos pudessem ser abordados...
Day-Dream. 
façam uma visita lá ele está no inicio só tem dois dias de vida haha conto com vocês.

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Farei.


Não gosto do silencio...
O silencio é minha alma que dança em dois 'eu'...
...o passado voltando para dizer oi.. Infelizmente odeio o passado..
não ele em si próprio, mas sim o que se sucedeu nele,
 eu saberia fingir que isso não pode mais me alterar, entretanto hoje não suporto mais.

Eles fingiram e foi assim que roubaram dias de vida das pessoas ingenuas...
certamente aquelas que eram ingenuas hoje já não são mais.
algumas se transformaram no mesmo que eles foram, outras apenas aprenderam as regras do jogo.

entretanto eu esteja a poucos dias de me transformar em uma louca... ou talvez já seja tarde demais.
...amo uma ilusão... admito é algo momentâneo...
mas amo o sabor de cada uma delas, nos tons suaves aos mais fortes.

...na vasta imensidão do passado estão escondidos os meus dias mais doces e amargos, lembrar deles não me convém...
é correto afirmar... eu vivi do passado, e vivi até quando o passado era só uma lembrança,
 vivi até mesmo quando o passado deixou de ser passado e se tornou apenas palavras verdadeiras ou falsas... contudo aprendi a não me limitar a isso.
.O meu passado fez-me o que sou (...) mas cabe a mim fazer do meu futuro o que eu quero que ele seja.

Fernanda Carolina B.

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Convivência.


Ele - Porque esta brava?
Ela- não estou
Ele- está!
Ela-não, não estou...
Ele- como pode não estar quando não olha em meus olhos quando chamo-te, quando fala comigo com suas palavras mais grossas(..)
Ela- como estou ou deixo de estar não interessa... sou grossa mesmo e não me convém mudar pelas criticas, você não tem o que querer saber então não me venha com perguntas sem fundamentos.
Ele- tem fundamento...
Ela- não, não tem!
Ele- tem!
Ela- é qual é?
Ele- matar a curiosidade..
Ela- que fique curioso
Ele- ...
Ela- então... você não vai virar as costas e ir embora?
Ele- Não.. você não viveria sem mim...
Ela- vivi até hoje muito bem!
Ele- até hoje... mas amanhã vai precisar de mim como uma viciada, você vai me procurar até que me encontre, e então tente se apoderar de mim e sem perceber eu me apodero de você... -ele sorriu ironicamente.
Ela-...
Ele- olha já começou
Ela- o que começou?
Ele- você... quer dizer, eu.. agora tenho outro sentido em sua vida
Ela- a claro que tem...
Ele- sempre tive. - afirmou sorrindo olhando para ela
Ela- até ontem não tinha, mas hoje o tem!
Ele-agora há um novo sentimento em relação a mim reinando em ti.
Ela- ...
Ele- ...
Ela- é você conseguiu minha pena.. ou nem isso - ela falou como se estivesse em uma guerra, entretanto a entonação de sua voz havia mudado e ia mudando de resposta a resposta... cada vez abaixando o tom cada vez se deixando envolver.
Ele- os meus argumentos são bem mais convincentes.
Ela- mas não são verdadeiros...
Ele-...
Ela- viu já está começando...
Ele- o que?
Ela- você.... alias eu, te desmascarei... e agora sou para você um desafio, porque não conseguiu me intrigar com suas palavras, não foi capaz de me colocar no seu jogo em que tantas já estiveram..
Ele- imaginação fértil a sua.
Ela- não... apenas reconheço o que é verdade.
Ele- então eu sou uma mentira?
Ela- não, mas construiu-se em uma..
ele parou um instante olhou nos olhos dela fitou-os...
Ele- admita...
Ela- o que?
Ele- o que seus olhos estão me dizendo
Ela- admita você primeiramente
Ele- o que?
Ela- o porque de tal persistência em uma conversa longe de ser agradável
Ele- admitamos juntos então?
Ela- não...
Ele- porque?
Ela- porque não.
Ele- porque não, jamais será resposta exata de tudo o que preciso.
Ela- acostume-se nunca terá a resposta para tudo que precisa.
Ele- ...
Ela- ...
Ele- então eu admito.. mas me diga acreditara se dizer que te amo?
Ela- talvez... depende até onde a sua verdade é capaz de se integrar as suas palavras.

Ela fitou os olhos dele abaixou a cabeça um instante e ergueu novamente... atordoada, mas decidida de sair dali sem marcas..
deu alguns passou em direção contraria a ele.. Ele percebeu tal afastamento segurou no braço dela... mas ele havia mudado, mudado como se algo o invadisse ou algo o deixasse


Ele- então se eu dizer que você é uma chata você não vai acreditar!
Ela- acredito... sei o que sou...
Ele- só comigo...
Ela- sou chata... com todos que realmente amo.
         (silencio...)

Fernanda Carolina B.


Desculpa o dialogo tão simplório
tão longe de tudo o que eu desejo para vocês...
a vida me toma por inteira... o relógio não para e mesmo que parasse o tempo continuaria passando me levando para todos os lugares onde devo ir me privando de milhares de coisas.



sábado, 14 de abril de 2012

14 de Abril.


...Como viver exitando as palavras com medo da reação dos seres que se encontram ao meu lado?
a vida mudou, eu mudei, mudei para ser feliz, a vida mudou para atrasar-me, para tentar evitar o inevitável..
.Todos os dias havia um breve momento de atrito e o dia que adiante de felicidade.
Hoje porém tudo se transformou criticamente, é um breve momento de felicidade e o resto de atrito..
.Ultimamente só sei agir negativamente com quem ajê negativamente comigo, não sei mais fingir sorrisos, 
não suporto mais permanecer em ambientes tomados pela plena discórdia dos seres...
A solidão não me traz alegria.. mas nunca a desejei como a desejo agora.
O silencio é preocupante, 
mas prefiro o silencio ensurdecedor do que os gritos de ira que se esvaem das bocas deles.

(...) não sei suportar a vida hostil, a futilidade, e tudo que me cerca.
Não sei ser julgada e ficar calada, não sei ser legal com quem eu amo...
é como se para disfarçar sentimentos eu usasse minhas únicas armas para que eles não descobrissem
como se eu o ignorasse apenas para me convencer de que não amo, mesmo quando uma voz inquieta dentro de mim grita em alto e bom som que amo...
amo cada milimetro e palavra.. certamente não sei amar do jeito certo.. 
Entretanto cada qual ama do seu jeito... 
não importa o jeito o que importa é que ama.

Fernanda Carolina B.


".. é incrível como começo a digitar e tenho um foco,
e como meros pensamentos que se esbarram em minhas palavras mudam totalmente o rumo do meu contexto."
14 de abril mais um dia, mais um aprendizado. 

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Sou.


Eu não sei onde está aquela minha antiga vida
onde está o mundo preto e branco que eu tentava colorir de todas as maneiras
as minhas músicas pesadas... e minhas roupas pretas... e a melancolia
tudo se acabou...
foram dias em vão tentando permanecer a mesma, tentando manter aquela personalidade que nunca me pertenceu...
em algum momento tudo parecia tão reciproco.. apenas para me convencer de aquele era meu lugar,
queria ser um ébano mas no fundo não passava de uma rosa cheia de espinhos.
Enfim.(...) meu mundo colorido brilha intensamente, o sol deixou de ser um borrão,
a vida deixou de ser um jogo para ser o que realmente é.
Transpareço o que sou.. e sou não o que me convém ser, mas sim aquilo que por consequências de meus atos me tornei.


Fernanda Carolina B.

segunda-feira, 9 de abril de 2012

.Minhas palavras se esvaem de minha boca e encontra o vago logo adiante.
no meio de uma multidão eu me perco, me acho, até perder a graça
Até que um sorriso tome meus lábios para si e esconda o que é só tão especialmente meu...
(..) ouvir tão mais do que o silencio... constato que a pulsação ritmada do coração ainda se faz presente
 me sinto sufocada como se já não houvesse mais espaço em mim,
como se já tivesse transbordado de sentimento; tivesse ultrapassado meus limites.
...meu olhar grita a imensidão de meus sentimentos
mas eles não aprenderam que o coração fala com os olhos.

Fernanda Carolina B.

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Desistir?


E ela chora desesperadamente com ânsia que o amanhã chegue e ela possa ter esquecido tudo o que se passa durante aquele momento,
é como esperar pela chuva e correr da tempestade...
e correu como se já estivesse sem rumo, correu como se estivesse perdida, até que já não conseguisse mais. 
Parou por um momento a beira de um precipício disse a si mesma... 
-É chegada minha hora, a hora que me liberto desse mundo
.Um homem apareceu e bocejando um sorriso perguntou:
-Por que fazer isso?
-Porque já não me convém viver...
-Por que não te convém?
-Porque... já não existe amor no mundo, nas pessoas em ninguém... cansei de todo teatro, cansei de toda falsidade, cansei de todo engano e toda ilusão, as pessoas de verdades foram mortas pela sociedade e hoje são apenas fantoches e eu não posso me limitar a viver aqui, não devo me acostumar com o frio com ilusão não devo me acostumar ao vazio das pessoas... quando na minha vida toda eu acreditei que tudo seria diferente. 
-E Deus não conta?
-...
- E a prova de amor que ele deu a ti não conta? e a vida que ele te proporciona não conta?
 Não percebe que para sentir o calor basta se agasalhar, que os problemas tem resoluções
e que o vazio se preenche, que tudo o que nos impõem apenas nos fortalece... a vida é para ser vivida. 
   .Afastou-se dela e caminhou em uma estrada qualquer até que já não se pudesse avista-lo...
ela sentou-se em uma pedra qualquer ficou ali por alguns minutos até que  sono fosse o único inimigo que a afronta... até que já não conseguisse mais lutar.
Quando acordou estava em sua cama olhou para os lados e teve a certeza de um sonho, e a incerteza da realidade. 
...A vida te dá motivos para desistir mas quem comanda sua vida, o mundo ou Deus?

Fernanda Carolina B.

sábado, 31 de março de 2012

Nós.


E se eu acorda-se hoje e perceber que tudo não passou de um mero sonho não sei se sorriria ou choraria;
...Odeio me afundar em algo que incerto... minhas tentativas de escapar todas tão em vão
Quando não estás aqui eu só queria acordar no passado e recomeçar.
Quando estás não posso me afundar na imensidão do seu olhar, para você já se tornou fácil me hipnotizar...

E tentei ser volúvel, tentei desaparecer em meio a multidão,
tentei mascarar meus sentimentos e crer que tudo estava bem...
e é chegado a dia que tudo se esvai de minhas mãos
...porque temo, não a ti,  mas temo a mim, temo a nós
temo aos sentimentos misturados que me confundem.

Fernanda Carolina B.




Aviso: . peço minhas humildes desculpas pela minha ausência
ultimamente ando passando por dias sufocantes, são muitos os trabalhos escolares e as provas para estudar;
Estou lendo um livro imenso que me toma por inteira,
.Agora tenho uma vida de verdade... não que antigamente fosse uma mentira...
mas agora me traz felicidade viver, enfim as vezes deixo de lado minha vida virtual  para ir viver a real
"aprendi que a realidade supera qualquer sonho."




quarta-feira, 28 de março de 2012

Demasiadamente.


 Tudo tão misturado... os meus sentimentos estão misturados, meus problemas, até minhas palavras
tudo o que me resta é fechar os olhos e dignar-me a dormir enquanto posso...
 Tentar clarear tudo o que está nublado...
mas já não me convém sequer dormir...
demasiadamente estressada, demasiadamente com raiva
demasiadamente de tudo...
Minha cabeça está latejando, e incrivelmente meu coração ainda pulsa...
eu deveria sorrir, deveria me animar e sim deveria estar demasiadamente sorrindo
...mas mal consigo permanecer de olhos abertos...
mal consigo pensar... um alguém roubou meus pensamentos todos para si
hoje acordei assim desanimada, acordei assim sem ter dormido o que me cabe
hoje acordei estressada
...mas não creia muito nas minhas palavras
quando estou demasiada em algo minha verdade se esvai e minhas palavras se modificam com o vento
e hoje estou demasiadamente dramática.

Fernanda Carolina B.

quinta-feira, 22 de março de 2012

Calo-me.

 

Aprendi a me calar...  porque minhas palavras pertencem a minha mente
e minha mente não me pertence.

calo-me...
...porque sei que em dias de tristeza faço tempestades em como d'água
sei que em dias de felicidade faço promessas sem fundamentos

em dias de euforia meu medo se oprimi de tal modo
que me sinto em liberdade
falo demais e se muito falo então falo o que já não devo falar.

Em dias de tristeza minha euforia se ausenta...
falo palavras que não me pertencem
mudo meus conceitos, caio em mentiras que minha imaginação inventa
saio de mim... a ponto de não me reconhecer,

então calo-me para não ver as consequências se aproximarem

...consequentemente privo-me de viver.


Fernanda Carolina B.


desabafo: não sei se perceberam mas a dias não posto...
as vezes acabo caindo na minha ilusão de que estou perdendo a poesia
as vezes acredito que seria melhor parar deixar-me
privar-me das palavras... como se fosse possível já que nos dias de felicidade eu me considerava escritora
mesmo sabendo que o que sou se resume ao amor que sinto pelo que escrevo...
como bela amadora que sou certamente não deveria me ausentar nenhum dia de minha vida
não deveria me deixar levar pelo medo
não devo me deixar levar muito menos pelas criticas ridículas que volta-e-meia se fazem presentes
mas admito o medo que me faz querer desistir...
e então vos digo que continuo, continuo enquanto me convém, continuo enquanto me faz sorrir
continuo por continuar... continuo mesmo sem ter motivos.



sábado, 17 de março de 2012

Ignorante.

 

Sou ignorante pelo fato de não ter aprendido como amar;
Fui ignorante pelo fato de ter me confundido de tal maneira que uma mera obsessão parecia ser o amor...
...e se aquilo fosse amor então eu expulsaria qualquer sentimento de dentro de mim.

 Admito que errei por ânsia de acertar... mudei para esquecer os meus erros;
Mudei porque foi preciso mudar, mudei porque me satisfaz ser eu mesma.
 mudei e pelo fato de mudar já não sou um barco a deriva,
talvez nunca houvesse sido, mas acreditei que era, mesmo não sendo
...
Agora minha mente está gasta de pensar no mesmo...
E penso mesmo quando já se deveria esquecer... penso mesmo quando não me convém pensar.
 minhas palavras se perdem durante as suas,
e todas as suas palavras vão sendo gravadas em mim.
meu coração pulsa involuntariamente, penso involuntariamente (...)

... Involuntariamente sinto
e de tanto sentir... agora amo.

Fernanda Carolina B.


domingo, 11 de março de 2012

Odeio.

Eu... eu me contento com o pouco desde que o pouco seja por inteiro,
porque sou egoísta mesmo
odeio tudo que vem ao meio,
não quero meio amores, meias verdades, meios sentimentos
se for para ser que seja tudo ou então simplesmente nada.
se for para amar que seja para encher o coração de tal maneira que eu sorria em apenas lembrar de seu nome,
se for me dar meio amor, então ao invés de meio amor da-me a sua ignorância contanto que seja por inteira.
eu odeio esses amores platônicos surreais
entretanto odeio amores reais que são incertos,
odeio a normalidade, porque talvez o meu normal é não ser normal
odeio escutar músicas tristes que me fazem sentir mal
mas amo escuta-las depois de decepções
eu odeio o fato de amar-te
e amo não amar.


Fernanda Carolina B.

Obs:. eu odeio o fato de amar-te
 (porque temo a dor que um dia pode se suceder, se eu estiver me lançando em um mar de ilusão)
e amo não amar.
(eu amo o fato de não me manter acorrentada a ti, porque você não se sente acorrentando a mim, amo ser livre de coração... porque quando se ama se é dependente de um alguém, quando se é dependente eu já não me sinto livre.)

sábado, 10 de março de 2012

Insegurança.


Mas doí, chega a latejar de tanta dor;
Eu me encontro no espelho e o meu reflexo parece ser tão convincente, certamente apenas o meu reflexo...
...e se eu me despir de tudo, no meu interior irei encontrar tão mais do que um coração que guerreia cegamente com a mente.

o coração que já está absolutamente atordoado....  não suporto essa guerra
entre amar, ou, recuara... a ponto de disfarçar qualquer sentimento que me ponha em risco.
Anseio a sua mera presença... ou então a sua ausência, até que eu me esqueça...
esqueça não só de ti como de todo o resto...

...me sinto iludida por minha imaginação, que inventa historias que jamais se sucederam,
me sinto usada por esses sonhos, quando acordo sabendo que nada é real.

isso só aumenta o fato de que volta-e-meia antecipo o sofrimento,
as vezes sentindo uma dor que não pertença a mim...
as vezes trocando a felicidade por essa insegurança.

Fernanda Carolina B.

Medo


eu tenho medo...
-medo?
é, medo
-medo do que?
de tudo...
-tudo é muita coisa não acha?
é eu sei... sou exagerada mesmo
-aham sei, mas, de que você tem medo especificamente?
do futuro, sinto que meus passos estão me levando na direção errada
-então caminhe para o outro lado
e se o outro lado for ainda mais rápido para o abismo?
-você nunca irá saber se não caminhar...
...
-mas diga-me o que ocasionou tanto medo?
minha insegurança... não queria decepcionar ninguém não queria me decepcionar, cansei de todas essas pedras, cansei das pedras lançadas contra mim
-e por isso você vai parar de caminhar?
é, não quero mais decepções na minha vida
-e se a felicidade estiver a apenas dois passos daqui?
bem eu não irei encontra-la.....
-por mero capricho seu
não, por medo.
   *o medo destrói sonhos para aqueles que se deixam destruir, faz morada aonde quer que possa...
o medo é uma pequena pedra que para alguns se tornam montanhas...
talvez o medo seja apenas uma parte de nós que é resultante da insegurança... os obstáculos são feitos para supera-los... mas pouco a pouco o mundo foi se fazendo de vitima por mero capricho e agora já se esqueceram do que são capazes...

Fernanda Carolina B.

quinta-feira, 8 de março de 2012

Batalha.



Eu, certamente perdida em meio um furacão... sei que uma vasta tempestade se aproxima
meus olhos marejados de lagrimas, de tal maneira que mal consigo esboçar um sorriso forçado,
a tristeza e melancolia batem a minha porta repetidamente,
percebo o que se sucede a minha volta...
cada qual se afundando no próprio 'mundinho'
e eu... apenas ouço a voz daqueles que passaram a me ver como inimiga,
vejo o grito de ódio nos olhares que se lançam ao meu encontro;
só queria que uma futilidade não se tornasse o mais vasto campo de batalha,
mas pouco a pouco vai se tornando...
eu poderia pedir mil desculpas, se em algum momento eu tivesse a culpa do que se sucede.
eu poderia ir em frente e fazer da batalha uma verdadeira guerra, e então me tornaria uma fútil
no meu desespero, a minha paz vem de um lugar inusitado
na minha angustia poucas palavras me aliviam...
sei quem são os que me perseguem... mas sei quem é meu escudo.
sei que o inimigo bate a minha porta constantemente.
As vezes posso parecer frágil, vulnerável (as vezes realmente sou) mas não esqueça (...)
meu escudo vem de Deus.

Fernanda Carolina B.


domingo, 4 de março de 2012

Feliz.


Escuto o barulho da chuva que cai ordenadamente no telhado 
Gota após gota, tão serenamente que se iguala a uma canção de ninar,
...percorro nos corredores da lembrança,
já que por mais que eu me esquive elas vão continuar em minha mente de alguma forma
tentando me enganar me dizendo que alguém por ai me ama incondicionalmente.
perambulo em meio duas personalidades...
Aquela que certamente está extinta, aquela que a unica coisa que restou foi a vaga lembrança de sua existência.
E esta que agora sucede-se em mim.
Sem muitas controvérsias reparo no que me tornei...
No entanto não me adianta comparar o hoje com o ontem,
 já que isso não prova absolutamente nada que seja muito importante,
apenas que ontem eu era uma pessoa e hoje sou outra.
Entretanto dentre as mais variadas mudanças que já passei, essa foi a mais significativa
essa foi uma mudança real em que do passado sobrou apenas lembranças, talvez nem isso.
Dentre todas as faces com que me apresentei ate então, essa é a que retrata perfeitamente quem sou...
assim defeituosamente e feliz de modo que nunca havia sido anteriormente (...)
bem... continuo volúvel, essa felicidade é totalmente incerta, confusa sem direção, não sei de onde ela vem e não sei se acabara mas agora o que importa não é minhas preocupações ou os problemas fúteis.
percebo que te fiz sorrir, e isso já me fortaleceu de um modo irremediável
em um momento de reflexão penso: 
Se for para viver que seja na extrema felicidade, se for para não ser feliz não valeria a pena viver.

Fernanda Carolina B.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Conto de fadas.



Quando se é criança pensamos que quando crescermos iremos vivenciar um conto de fadas,
quando crescemos percebemos que ser criança é o verdadeiro conto de fadas,
eu lembro dos velhos tempos... não haviam controvérsias
as garotas não fingiam sorrisos, os meninos amavam de verdade.

O tempo fez as pessoas mudarem, ou as pessoas mudaram os tempos
eu lembro de todas as brincadeiras bobas,
e todas as noites que tentei dormir tarde para parecer mais adulta...

Hoje... nada é real
vivo em um mundo de mascaras,
tentando manter meu barquinho
em meio um mar de ilusão,
eu sei que meu caminho é irremediável,
e isso me consome a me mata por dentro
vivo em um mundo melancólico,
nada mais é reciproco...

Minhas lagrimas clamam por um amor,
eu tenho ânsia de felicidade...
talvez este já não seja meu mundo,
e eu seja uma estrangeira em um lugar de guerra e paz.

Eu só quero a certeza de ser feliz
a certeza do amanhã,
a certeza que não estou em cima de uma corda-bamba
preste a cair em um abismo.

Fernanda Carolina B.


quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Era...

Era um amor envaidecido, que de alguma forma deixou de ser amor, ambos já haviam notado e não foi preciso muito tempo ate que novos amores tomassem conta de seus pensamentos... de fato a única coisa que ainda os deixavam unidos era a mera ilusão, ou o medo que sentiam de ferir o outro.

- preciso te dizer uma coisa – disse ele timidamente, com medo no olhar.

-diga...

- eu mal sei como lhe contar... - parou um instante respirou fundo, olhou nos olhos dela e continuou – sinto que a cada dia o nosso amor vai se desgastando, vai se consumido e nos consumindo, sinto que talvez eu já não sinta como antes, talvez eu já nem seja o mesmo de antes...

-admito que sempre achasse que eu diria essa frase a ti, mas é você que agora me deixa surpresa,
-...

-eu já havia percebido, o nosso amor deixou de ser... A nossa poesia não faz sentido... – as lagrimas já estavam escorrendo em sua face, ela já estava quase sentada ao chão, disse – então concluo que chegamos ao fim...

- se eu sair por aquela porta, talvez um dia volte, talvez um dia entenda o que você é para mim.

- se você sair por aquela porta te esquecerei... Irei me despir de tudo que me lembra de ti

- ira me esquecer assim tão rápido, logo imagino que nada significo a ti...

- tu sabes o que significa... sabes que ate mesmo quando a nossa união não é mais como deveria ser eu ainda sinto por ti o mesmo... Tu sabes que talvez um dia tome novos amores, sabes que já amei outros dantes de ti... Porem sabe que te amo, um amor desgastado, envaidecido talvez para alguns nem seja amor, talvez grande parte de mim já está se encantando com outros olhares... Mas nada ofusca o que sinto a ti... Uma parcela de mim pertence a ti, e tu sabes que de uma maneira uma parcela de ti pertence a mim...

- não devo mentir a ti, nem a mim, creio que agora nada se resta, que nos voltemos a ser eu e você, cada um seguindo o seu caminho.

- pois bem, vá... Lembra-te não é mais tu que tem meu coração e nem eu que tenho o teu, não é mais meu príncipe, nem eu sou sua princesa.

Ele pegou nas mãos delas fitou-lhe os olhos, se ajoelhou.
Abraçou-a, levanto-se novamente e saiu pela porta aberta...
Ela levantou-se caminhou ate a porta aberta desde então, e fechou-a, sem mais lagrimas sorriu, sabia, sempre soube que um dia o fim chegaria... Não poderia viver daquela mentira, não poderia oscilar entre os sentimentos.
Deveria ser livre para voar, para se reinventar... Era livre para embarcar em outras ilusões tão piores do que essa que acabava de se finalizar...
Entretanto ela já amava, finalmente amava ela própria... Desde então teve seus amores e desamores... E ele também se relacionou amou e se decepcionou,
agora estavam distantes de tal forma que não voltariam a se encontrar,
 perceberam que o coração é um estúpido e quem escuta a voz dele é muito mais...
o fato é eles adoravam ser estúpidos.

Fernanda Carolina B.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Nada.


O quebra-cabeça se chocou contra o chão, as peças se espalharam e outras se perderam,
 Estou indo para o lugar de onde vim (...)
Não é mais questão de sentir aquela vasta solidão, muito menos de me sentir melancólica,
a questão é que nada se rege em mim...
Todos os "eu te amo" parecem ter se perdido em outras esferas;
 nem um amor, nem uma tristeza, apenas uma vasta imensidão de lembranças
que também já não me afetam,
...A indecisão já era rotineira, era conhecida que me acompanhava,
todos os "sei lá" já haviam se tornado tão normais quanto todas as certezas que eu tinha,
é tão estranho me sentir assim... nem a tristeza e nem a alegria,
não quer dizer que não me sinto alegre, ou triste, tenho meus momentos de extrema alegria,
 e outros de extrema tristeza, mas é algo tão desfocado quanto a própria incerteza,
é algo tão indeciso, e tão volúvel, que as vezes perde até mesmo o sentido...
Eu era uma pessoa inconstante... atordoada, não sabia o que sentia, mas eu sabia que algo eu sentia;
todos os meus esquivamentos me trouxeram até aqui... e por enquanto esse caminho é remediável
me basta caminhar, com um guarda-chuvas a mão para que as tempestades impetuosas não me lancem novamente a cá, me roubando o sabor tão amargo e extremamente doce que a vida oferece.


Fernanda Carolina B.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Chorar.

Não sei quando, mas em algum lugar do caminho eu perdi minha armadura,
Em algum lugar da estrada eu tropiquei, eu cai...
tentei suportar as lagrimas que naquele momento pareciam ser a minha maior vergonha, não suportei,
lagrima após lagrima foram caindo, escorrendo em minha face, sentia-me como se estivesse cometendo um pecado ao chorar...

me amedrontava com meus pensamentos...
por horas fiquei ali, pensando no que diriam de mim...

em algum momento daqueles pensamentos eu errei...
falhei comigo própria... talvez chorar tivesse sido a melhor maneira de me liberar
sentia-me tão frágil... em meio um pesadelo que me assombrava e me dava motivos para querer desaparecer,
sentia-me tão desesperada a ponto de querer fugir daquele mundo injusto...
aos prantos eu me reconcertei, eu me equilibrei...

mas nesse mundo onde nada é justo... ouço as vozes me julgando,
então não me chame de fraca quando por varias vezes suportei calada.
no meu interior eu sei que eu sou um embaraço de sentimentos,
e eles não poderiam me julgar quando eles tem defeitos tão piores...
nesse lugar injusto grande parte das pessoas já perderam o sentido da palavra sentimento.



Fernanda Carolina B.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Tentativa.


.Quando ela entrou na escola, andando em meio os corredores percebeu que estava só...
.Quando ela sorriu sozinha em um canto qualquer, entendeu o que é tapar a dor usando um sorriso...
Era tímida, seguia sua rotina, morava ali por perto em uma cidade com poucos habitantes,
o silencio a fazia companhia a solidão já era velha conhecida...
de repente uma voz quebra aquele momento de silencio...

- Qual é o seu nome - perguntou uma garota curiosa 

- Carol - respondeu a menina timidamente

- Meu nome é amelia - disse toda contente

.Carol entretanto não sabia o que fazer diante tal situação, nesse momento milhares de pensamentos invadiram sua mente... por mais que ela quisesse sair dali de uma certa forma em algum lugar dela uma voz a dizia para ficar.

- Por que você sempre está sozinha? - quis saber amelia

- Não tenho bons motivos, talvez há algo em mim que não me permita aproximar de pessoas, talvez eu use uma armadura que afasta todos que se aproximam, ou talvez eu seja tímida demais, com medo de me expressar com medo de me liberar... - assim Carol explicou os seus motivos.

- Sempre foi assim?

- Nem sempre, lembro-me dos velhos tempos em que tinha amizades reciprocas... tudo era verdadeiro.

- E então tudo se acabou?

- Eu não sei bem ao certo, talvez hoje eu não me sinta a vontade dividindo segredos com alguém... 
Quando caminho sinto que sou observada, escuto o que eles falam de mim, me julgam sem saber. 

- Mas agora eu estou aqui... posso ser sua amiga 

- Diz isso hoje, por pena que sente, e talvez o que diga ou o que me prometa agora possa vir a ser algo momentâneo.

.Amelia sai deprimida, decepcionada com o fracasso da tentativa...
Carol continuou ali,  com a solidão que há tanto tempo havia feito morada em si... 
ela continuo como sempre, andando pelos corredores, se sentindo isenta de fazer amizades...
preferia viver assim só, ela e a solidão, pelo menos assim ela se sentia despida de culpa,
 se sentia longe de tudo aquilo que a fazia mal... 
.Pena... Carol nunca percebeu que a única que sempre a fez mal foi ela própria.

Fernanda Carolina B.

Gente desculpa o mega post, com certeza vocês perceberam que não é um texto normal né...
sim esse é o meu primeiro conto em que me aventurei, talvez eu continue a escreve-los, ou talvez este seja o primeiro e ultimo... espero que tenham gostado... diga pelos comentários o que achou, enfim devo continuar escrevendo contos ou não?

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Anormal.


Acredito que de uma maneira, eu não saiba mais o que sinto (...)
tirei tudo o que havia dentro de mim, mas esqueci de recolocar;
Tenho uma vaga lembrança daquilo que um dia eu acreditei que era amor... 
tolice, tudo não passou de uma demasiada obsessão... que com o tempo se auto-destruí.
.Sinto como se estivesse em meio a escuridão, tentando transforma-la em luz.
como se meus óculos estivessem embasados, e eu, já não soubesse distinguir o que se passa em mim...
Sou uma contradição... Meus conselhos não servem para mim... 
Não posso me intender, se me intendesse talvez eu seria normal...
e nas tão poucas coisas que temo uma delas é  ser normal
nunca fui apresentada a normalidade, é algo que desconheço...
o meu normal talvez seja a minha loucura... 
nos meus momentos de loucura transpareço o que realmente sou... nesses momentos encontro a felicidade.

Fernanda Carolina B.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Destino


O destino (...) o que é o destino?
. Talvez não exista, ou seja algo que eu use para por a culpa das minhas derrotas,
.As vezes quando eu não tenho a quem culpar... culpo o destino por tudo que deu errado,
por tudo que se acabou... como se alguém, ou algo realmente tivesse a culpa,
.Eu estou confrontando o universo a minha volta, porque eu sinto como se isso não fosse o meu lugar.
 ...entretanto eu tento de inúmeras maneiras tentar repulsar o meu medo de continuar aqui,
eu tento repulsar tudo o que me trava o sorriso, mas por muitas vezes são tentativas em vão...
Um certo desespero as vezes me domina, e minha única vontade é a de gritar,
correr,  contrariar tudo o que eles me impõe...
.Queria acordar, e perceber que tudo não passou de um pesadelo.

Fernanda Carolina B.



segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Vida.


E então eu percebi... que tem certas marcas que eu não posso destruir,
certas pessoas que mesmo tempo não será capaz de apagar
que sorrisos, muitas vezes só servem para disfarçar a dor, e um "eu te amo" pode ser mentira...
que as vezes uma paixão pode ser trágica... e quando se ama sempre há uma incerteza...
que alguns sentimentos nunca morrem, e outros não chegam a existir
e para cada ferida a um curativo... para cada embaraço há um meio de desembaraçar...
que ter contas pendentes com o passado, é uma das piores coisas, porque ele volta para cobrar,
que você não decide quem ama, simples mente ama... que a vida é um grande ensinamento,
que devemos viver ao extremo... negligenciar o que faz mal... cultivar bons sentimentos,
deve-se entender que a vida não é uma peça de teatro... mas nós temos que aprender a improvisar.

Fernanda Carolina B.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...